As viabilidades técnica, financeira e legal da instituição do benefício de vale refeição aos servidores da Prefeitura foram tema de reunião ocorrida nesta quarta-feira (17/07), com presença do prefeito José Luiz Monteiro, os presidentes da Câmara, Reynaldo Gregório Junior, o Reynaldinho, e do Sindicato dos Servidores de Arujá e Região, Miguel Latini, os secretários Caio Araujo (Finanças) e Juvenal Penteado (Planejamento), além dos vereadores Ana Poli e Abel Franco Larini, o Abelzinho.

         “Compreendo a necessidade apontada pelo Sindicato e vamos estudar a melhor forma de atendê-la. O mais provável é que cheguemos a uma solução progressiva, começando com o benefício para os salários menores e, de modo gradativo, ampliando a todo o funcionalismo”, explicou o prefeito.

         Durante a reunião, a Prefeitura demonstrou que não há condições para atender à proposta inicial do Sindicato – implantar o benefício de uma só vez a todo o funcionalismo,  o que geraria uma necessidade de investimento inviável.

         “É lógico que tem de se fazer algum esforço e abdicar de algumas coisas, como valorizar quem ganha menos primeiro, mas garantindo o direito de todos. Vocês apresentando contraproposta, eu levo aos trabalhadores”, afirmou Latini.

         A presença dos vereadores é fundamental porque a criação do benefício precisa passar pelo Legislativo. “Entendemos a importância e estamos à disposição para auxiliar”, afirmou o presidente Reynaldinho.

         Atualmente os servidores municipais contam, no geral, com adicional salarial por tempo de serviço, convênio médico, vale transporte, vale alimentação de R$ 270, além de 2% de aumento real a cada reajuste salarial.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, comente
Coloque seu nome aqui