A Polícia civil de Arujá indiciou ontem por receptação Arnaldo Ribeiro da Silva, 33 anos, encarregado de dois depósitos de gás que receberiam uma carga de 300 botijões cheios, roubados da SERVGÁS, em Guarulhos na manhã de segunda-feira. Ele foi abordado quando conduzia o caminhão pertencente à empresa juntamente com dois ajudantes, os quais foram ouvidos e liberados após ficar demonstrado que, como funcionários, apenas cumpriam ordens, sem ter certeza da origem da mercadoria.

De acordo com o boletim 81/2019, tudo começou quando o dono do caminhão roubado foi liberado pelos bandidos após mais de uma hora de cativeiro, e obteve da empresa de monitoramento o rastreamento de seu caminhão, mostrando que o mesmo estava ainda em Guarulhos na Rua Guilherme Cimieri. Ele foi até o local e viu que três pessoas transferiam os botijões do seu caminhão para outro veículo e então chamou a Polícia. Como o trabalho acabou antes dos policiais chegarem ele continuou seguindo o veículo com a carga roubada e passou as coordenadas aos policiais.

Em Arujá policiais da 3ª Cia receberam as informações e prepararam uma operação e fizeram a abordagem do veículo quando este trafegava pela Mário Covas. Participaram da operação as viaturas 31 109, 31 101, 31 370370, 31300 e 31 310.

Levados para a Delegacia, motorista e ajudantes foram ouvidos separadamente e os dois funcionários disseram que apenas receberam ordens para ir com o caminhão buscar uma carga que havia sido comprada e estaria em Guarulhos. No boletim da Polícia Civil consta que acharam estranho fazer transbordo de uma carga no meio da rua, mas não questionaram a procedência da mercadoria. Fizeram porque são trabalhadores registrados.
Já o encarregado confessou ter dado ordem para buscar a carga e que sabia de sua procedência espúria, ou seja, produto de roubo. Ele disse trabalhar para o comerciante Gil do Gás. O encarregado informou ainda que já teria levado 108 desses botijões para um depósito na Rua Quatro, no Parque Rodrigo Barreto junto com outro ajudante, o qual também foi levado a depor.

Uma das viaturas da Polícia Militar que atendeu a ocorrência deslocou-se ao depósito do Barreto e localizou a carga. Depois disso, a vítima, que foi ouvida e deu todos os detalhes do assalto, teve a oportunidade de fazer o reconhecimento fotográfico dos envolvidos e deixou claro que estes não estavam entre os assaltantes que levaram seu caminhão e o fizeram refém. A carga foi avaliada pela vítima em R$ 40.000,00.

Diante disso, depois de ouvir todas as versões separadamente o delegado Rogério Champion dos Reis, determinou o indiciamento do encarregado e liberação dos demais que passam a constar no inquérito policial como testemunhas. O Caso continuará sendo investigado pela equipe do delegado Champion. O dono dos depósitos, segundo consta está viajando e não foi ouvido ainda.

O jornal entrou em contato com a empresa para que tivesse a oportunidade de fazer esclarecimentos ou se manifestar a respeito da ocorrência, mas foi informada de que o responsável não retornou de viagem e só ele deverá falar.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, comente
Coloque seu nome aqui