Mais uma semana de luto: cidade registra a perda de cidadãos valorosos

0
385

A última semana foi de muita dor entre famílias arujaenses. Apesar de todo esforço feito no enfrentamento à pandemia, muitas pessoas perderam a vida em decorrência da Covid-19, alguns familiares enviaram a foto ao jornal para esta homenagem póstuma.

No Início desta semana faleceu a dona de casa Ivone Simões Castro, moradora do Barreto. Esta mãe de família dedicada e cheia de energia foi atingida pelo vírus e esteve internada inicialmente no PAM Barreto, sendo transferida para o Hospital Padre Bento, em Guarulhos, onde faleceu. Deixou à sua família um legado de amor.

A psicóloga Vanderl Lamana foi outra vítima da Covid, ceifada no momento em que mais se preparava para servir a comunidade, agora que havia concluído a tarefa com a educação dos filhos. Esposo, filhos e amigos reverenciaram sua memória com carinho, amparados no grande amor que ela lhes dedicou.

Pai de família e morador antigo da cidade de Arujá, Daniel Ávila dos Santos foi outra morte muito sentida pela comunidade local. Ele tinha 66 anos, era tremendamente ativo em sua busca de prover o melhor para seus familiares. Foi atingido pelo vírus e não resistiu. Deixou esposa, dois filhos e irmãos que jamais esquecerão seu bom exemplo e cidadania.
Profissional talentoso, o advogado e ex-secretário de assuntos jurídicos da Prefeitura de Arujá, Eduardo Rodrigues Pinhel tinha um reconhecido cuidado com a saúde, mas acabou sendo mais uma vítima fatal da Covid. Tinha 46 anos, era um apaixonado pelo direito, mas não resistiu. Deixou a mãe e uma irmã.

A morte do fiscal de postura da Prefeitura local, Paulo Roberto Damasceno, de 54 anos, causou grande surpresa, já que ele era pessoa reservada e extremamente cuidadoso para com sua saúde e sua família. Ele esteve internado por uma semana e não resistiu. Deixou esposa, dois filhos, sete irmãos e a lembrança de seu profissionalismo.

Padre Faustino José Tonini, como bem ilustrou a nota emitida pela comunidade Nossa Senhora da Paz, partiu na última quinta-feira e foi celebrar sua Páscoa espiritual com o redentor. Ele combateu o bom combate e guardou a fé, deixando grande saudade entre familiares, conhecidos e religiosos.

A dona de casa Maria Benedita do Prado, 87 anos, também não resistiu à complicações da Covid-19, mesmo depois de ter sido vacinada. Ela que era casada há 51 anos com Benedito do Prado e foi uma pessoa completamente dedicada ao lar, aos sobrinhos e irmãos e deixa uma lembrança muito forte no coração de todos que a conheceram e no coração do esposo muito amado, que conseguiu sobreviver à doença.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, comente
Coloque seu nome aqui