O projeto do governo João Dória e da Artesp (Agência de Transporte do Estado de São Paulo) de implantar a cobrança de pedágios na rodovia Mogi-Dutra, na região de Mogi das Cruzes, foi alvo de repúdio entre vereadores de Arujá, durante a sessão da última quarta-feira. Eles acreditam que a medida, que foi anunciada em audiência pública na Prefeitura de Mogi, na última semana, afetará a população arujaenses que utiliza a rodovia com destino às universidades e empresas do município vizinho, ampliando os custos com transporte.

O vereador Renato Caroba, por exemplo, apresentou moção de repúdio contra o governo do Estado de São Paulo, alegando que a implantação da praça de pedágio  na SP-88 irá ampliar o custo de vida da população local.

Ele criticou o Condemat (Consórcio de Desenvolvimento dos Municípios do Alto Tietê) por não pautar o assunto em suas reuniões e cobrou o prefeito Zé Luiz Monteiro sobre ação neste sentido. “Quando é para aplaudir ninguém perde tempo, mas na hora de cobrar poucos aparecem”, disse.

Repúdio na Alesp

Os vereadores Abelzinho, Paulinho Maiolino e Rogério da Padaria também tomaram posição em relação  ao que consideram uma medida arbitrária do governo.  “A criação dessa Praça de Pedágio simplesmente depõe contra o direito de ir e vir da população. A Constituição nos garante este direito e nós temos que mobilizar a sociedade para evitar que isso aconteça na nossa região”, disse Maiolino.

Rogério da Padaria apoiou a manifestação do colega e se propôs junto com Maiolino a criar uma comissão de vereadores para  irem até à Assembleia Legislativa de São Paulo acionar os deputados e protestar contra a criação do pedágio na Mogi-Dutra.

Para prefeito José Luiz Monteiro, pedágio na Mogi-Dutra é injustificável

Injustificável. Desta maneira o prefeito José Luiz Monteiro classifica a possibilidade de implantação de pedágio no quilômetro 45 da Rodovia Mogi-Dutra (SP-88). “Nós, prefeitos, trabalhamos diariamente para resolver os problemas das nossas cidades sem ter de cobrar, ainda mais, do cidadão que já sofre, e muito, com o momento econômico atual do Brasil. Não há nada que justifique essa intenção”, disse.

A instalação de uma praça de pedágio na rodovia que liga Arujá a Mogi das Cruzes e outras cidades da região foi um dos principais pontos de audiência pública que a Agência de Transporte de São Paulo (Artesp) promoveu em Mogi das Cruzes, esta semana. A medida ocorreria em função da concessão da via à iniciativa privada.

O trecho arujaense da Mogi-Dutra está sendo duplicado após 14 anos da entrega da primeira parte da obra, entre Mogi das Cruzes e a rodovia Ayrton Senna. “Foram anos de reivindicação, reuniões e cobrança para duplicarem o perímetro de Arujá e jamais houve qualquer menção sobre pedagiar a estrada. Os usuários da Mogi-Dutra e os moradores de seu entorno podem contar com meu apoio”, explicou o prefeito.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, comente
Coloque seu nome aqui