Família de ciclista morto na Mário Covas apela a quem viu acidente para que ajude a esclarecer ocorrência

Família de ciclista morto na Mário Covas apela a quem viu acidente para que ajude a esclarecer ocorrência

“Meu marido não era um irresponsável, era um pai de família exemplar e estava com genro na Avenida Mário Covas num percurso familiar para ele. Os dois estavam com os trajes adequados para o ciclismo, com luz refletora e todos os acessórios indicados para esta atividade. Ele morreu e meu genro está gravemente ferido, acho que temos o direito à justiça e pedimos a quem viu o que realmente aconteceu que se disponha a procurar a Delegacia, para dar informações do delegado Ricardo Kondo”.

O apelo é feito por Nancy Conceição Lima, viúva de Ede Carlos Pinheiro Lima, que se tornou vítima fatal de colisão entre o um Gol e sua bicicleta. O genro, Alex Santana, também ficou gravemente ferido, mas teve alta hospitalar e já depós sobre o acidente, contrariando algumas informações registradas na primeira apuração policial.

Ede Carlos, 47 anos, sofreu um impacto bastante violento, sendo projetado para alto, contra um poste de iluminação na avenida. Quando caiu na pista estava agonizando e morreu momentos depois, antes mesmo de chegar ao pronto Atendimento Municipal. Alex teve escoriações no corpo todo e segue em acompanhamento médico, após a alta.

“Meu marido era um marceneiro admirável e muito conhecido no Jordanópolis, onde moramos há muitos anos, uma pessoa de bem e estava treinando junto com meu genro para poderem ir até a Basílica de Aparecida de bicicleta, no próximo mês de outubro. Eu sei que acidentes acontecem, mas pela forma como a bicicleta dele ficou encravada embaixo do Gol, e como o meu genro também foi apanhado, sendo que seguiam a cinco metros de distância um do outro, eu tenho certeza que o veículo envolvido devia estar em alta velocidade”, argumentou Nancy.

A filha, Bianca, que acompanhou Nanci nas declarações ao jornal, afirmou que “não queremos dinheiro de ninguém, não queremos nenhum tipo de compensação, apenas justiça para um pai de família que morreu.  Infelizmente, não há imagens disponíveis de microcâmeras no trecho, por isso estamos apelando por testemunhas”, disse.

Autoria conhecida

A Guarda Municipal, que foi a primeira a chegar ao local, identificou o autor, que estava na avenida e que, segundo consta, acionou o socorro. Posteriormente o local foi isolado pela Polícia Militar e Departamento de trânsito para o atendimento às vítimas, mas no caso de Ede Carlos já não havia o que fazer.

 

 

ADVERTISEMENT
ADVERTISEMENT
ADVERTISEMENT
ADVERTISEMENT
Sidebar