As ações do programa Criança Feliz em Arujá mais uma vez são referência para o Ministério da Cidadania. Nesta terça-feira (02/07), uma comitiva de representantes dos governos federal e estadual e da Fundação Lego visitou uma família atendida na cidade e reuniu-se com gestores da Secretaria Municipal de Assistência Social. O prefeito José Luiz Monteiro participou do encontro, assim como a secretária da Pasta, Maria Luzia Bortone Salles Couto.

        Além de Arujá, somente o município de Eusébio (CE) será visitado. Isso ocorre após o gerente sênior da Fundação Lego, Diego Adame, participar de agenda com o ministro Osmar Terra, em Brasília, e iniciar discussões sobre parcerias que podem beneficiar o programa nacionalmente.

        “Trabalhamos em muitos países para ajudar projetos sociais. No Brasil, conhecemos o Criança Feliz, que é visto como um dos maiores programas do mundo. Estamos aqui para entender como ele funciona e conhecer pessoas atendidas”, afirmou Adame, na reunião ocorrida no Centro de Referência de Assistência Social (CRAS) Parque Rodrigo Barreto.

        O prefeito José Luiz Monteiro salientou a presença da comitiva, a importância do projeto e falou da necessidade de mais justiça social e tributária no País.

        “Recebemos 100 novas pessoas por mês em busca dos serviços e da ajuda da Secretaria de Assistência Social, o que mostra o valor do programa e da vinda desta comitiva. Mas fico pensando até quando vamos precisar deste tipo de ação e onde isso vai parar. Precisamos encontrar soluções para diminuir a desigualdade e tornar as pessoas mais independentes”, afirmou o prefeito.

        Participaram também o secretário de Articulação e Parcerias do Ministério da Cidadania, Eduardo de Campos Queiroz; a chefe de gabinete da Secretaria Nacional de Promoção do Desenvolvimento Humano da Pasta federal, Luana Konzen; a coordenadora estadual do Criança Feliz no Estado, Paola Pastrello; a coordenadora de Assistência e Desenvolvimento Social da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Social (SEDS), Simone Malandrino; a adjunta da Secretaria de Assistência Social, Marina Bernardo; a  coordenadora e a supervisora locais do programa, Andreia Passos e Emannuela Marinho Pires, além das visitadoras e das coordenadoras dos CRAS Centro e Barreto.

        “Trazer parcerias é um objetivo da Secretaria. Entendemos que o Estado não consegue fazer tudo sozinho e estamos em Arujá para mostrar um pouco do programa na cidade”, afirmou Queiroz.

         Humanização
Classificando a humanização nos atendimentos como a bandeira principal da Assistência Social municipal, a secretária Maria Luzia Bortone Salles Couto ressaltou que Arujá aderiu ao Criança Feliz em 2017, logo depois do lançamento, por enxergar seu potencial de oferecer atenção a ainda mais famílias em situação de vulnerabilidade social.
“Estou secretária, mas sou assistente social e posso afirmar que Arujá é um município privilegiado, porque busca soluções. Para falar de um programa apenas (Renda Mínima), destinamos 2% da arrecadação da Prefeitura e isso é muito além do que tantas outras Secretarias recebem em outras cidades. Comemorar hoje os mil dias do Programa Criança  Feliz,  com essa visita, é um grande privilégio”, disse.

         O programa

         O Criança Feliz nasceu em 2016 para atender crianças de até 3 anos beneficiárias do Bolsa Família ou as que têm até 6 anos e são usuárias do Benefício de Prestação Continuada (BPC). Em Arujá é referenciado pelos CRASs e conta com o trabalho de sete visitadoras responsáveis por acompanhar semanalmente os pequenos e mensalmente as gestantes de bairros como como Barreto, Mirante e Jardim Josely.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, comente
Coloque seu nome aqui