Câncer no intestino pode ser evitado com mudança de estilo de vida

Câncer no intestino pode ser evitado com mudança de estilo de vida

Campanha Setembro Verde reforça importância da prevenção da doença

O câncer no intestino, também conhecido por câncer colorretal, já ultrapassou a marca de 30 mil novos casos no Brasil somente este ano, segundo levantamento do Instituto Nacional de Câncer (INCA).Trata-se de um aumento de 6% em relação ao ano anterior.

A doença é um dos poucos cânceres que tem a possibilidade de ser evitada somente com a mudança de estilo de vida. Por este motivo, a Sociedade Brasileira de Coloproctologia (SBCP) realiza anualmente a campanha Setembro Verde, com o objetivo de prevenir o surgimento da doença.

O aumento na incidência de casos no país é resultado dos maus hábitos alimentares e do aumento do sedentarismo. De acordo com a mestre em Nutrição pela Universidade de São Paulo (USP), Claudia Sanibal, para evitar esse mal é necessário diminuir o consumo de alimentos como carnes vermelhas, processadas e os alimentos que contenham muita gordura. A conduta nutricional deve ser enriquecida com frutas, legumes e verduras além de grãos integrais.

“O excesso de peso é um dos agravantes que leva ao aparecimento do câncer de intestino. Por isso que, além do reequilíbrio alimentar, também é recomendado manter regularmente a prática de atividade física. Vale ressaltar que o alcoolismo e o tabagismo também são nocivos para o intestino”, explica a nutricionista.

O câncer de intestino é conhecido por atingir os pólipos localizados na parede do intestino grosso, que é subdividido em cólon e reto. Como a ação acontece lentamente, é possível identificar o problema por meio do exame de colonoscopia e retirá-los antes de se transformarem em tumores malignos.

A SBCP agora recomenda que o procedimento seja feito a partir de 45 anos de idade, seguindo a nova orientação da American CancerSociety. No entanto, as pessoas que tiverem casos de histórico familiar ou mesmo sentir alguma alteração no hábito intestinal devem fazer o exame com antecedência.

Segundo o cirurgião oncológico doutor Ricardo Motta, especialista do Centro Oncológico Mogi das Cruzes, no início do câncer não há sintomas significativos. Nesse caso, a doença pode ser encontrada devido o paciente apresentar anemia, que por sua vez, pode ser diagnosticada por meio de um hemograma completo.

Dr. Motta ressalta que quanto antes for descoberto o problema, maior serão as chances de tratamento. “Contudo, é essencial que os exames de rotina sejam feitos periodicamente para detectar qualquer tipo de alteração no organismo. Caso o câncer de intestino seja encontrado, o oncologista responsável indicará o melhor tratamento, que pode ser radioterapia, quimioterapia ou cirurgia”, explica.

Mais Notícias

Sidebar