Bertaiolli é diplomado deputado federal para o próximo mandato de 2023 a 2027

Bertaiolli é diplomado deputado federal para o próximo mandato de 2023 a 2027

O deputado federal, Marco Bertaiolli (PSD/SP), foi diplomado para o segundo mandato na Câmara Federal, nesta segunda-feira (19/12/2022), em cerimônia realizada pelo Tribunal Regional Eleitoral (TER), na Sala São Paulo, na Capital. Com 157.552 votos, o parlamentar seguirá, em Brasília, para a gestão de 2023/2027. “Recebo essa diplomação com uma emoção muito grande e um imenso sentimento de responsabilidade”, destaca Bertaiolli, que teve todas as contas da campanha aprovadas pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE). A posse acontecerá no próximo dia 1º de fevereiro.

Bertaiolli destaca que segue com o trabalho, em Brasília, ainda mais experiente e com “vontade de fazer mais”. No seu mandato, iniciado em 2019 e que termina agora em fevereiro de 2023, o deputado destacou-se pelo trabalho em defesa da geração de emprego, do fortalecimento das micro e pequenas empresas, da representatividade às Santas Casas e Hospitais Filantrópicos, entre outras áreas. “Conseguimos aprovar 7 leis e temos outras 7 em andamento em vias de ser votada”, afirma o Bertaiolli, que foi eleito, durante esse período, presidente da Comissão de Finanças e Tributação (CFT), segundo principal colegiado da Câmara Federal.

Nascido em Mogi das Cruzes (SP), o parlamentar leva para o segundo mandato algumas bandeiras fundamentais, como a modernização do Estatuto do Jovem Aprendiz e a atualização do limite de faturamento do Simples Nacional e do Microempreendedor Individual (MEI). “Trabalhamos incessantemente nestes dois projetos e vamos continuar nos dedicando muito até a sua votação, porque entendemos como fundamentais para o desenvolvimento econômico e social do país”.

No caso do jovem aprendiz, por exemplo, o objetivo é abrir as portas do mercado para 1 milhão de adolescentes em busca de trabalho e qualificação, criando, inclusive, a Bolsa Aprendiz. “A atualização do limite de faturamento do Simples Nacional e do MEI é fundamental para evitarmos o fechamento de cerca de 380 mil empresas”, afirma Bertaiolli, salientando que a mudança na Lei Geral da MPE “é uma questão de justiça”. “Desde que foi criada, em 2006, não ocorreram atualizações significativas nestes valores e a nossa proposta é apenas a correção inflacionária do período”.

Em sua 8ª eleição, desde que foi vereador de Mogi das Cruzes pela primeira vez, Bertaiolli destaca que o trabalho de um parlamentar, em Brasília, se divide em várias frentes. Uma delas é a aprovação de leis e discussões de âmbito nacional e que refletem na vida das pessoas direta ou indiretamente. E a segunda vertente é a de dar representatividade aos municípios.

“É necessário que as cidades, os municípios, os prefeitos, tenham a quem recorrer em busca de investimentos e o desenvolvimento de projetos. Sem essa voz, esse apoio, fica muito difícil”, destaca Bertaiolli, acrescentando que o “cobertor é curto”. “Por isso, é necessário que a cidade tenha um representante atento e que defenda os interesses da sua população”.

Como um dos destaques neste mandato, Bertaiolli cita ainda a defesa das Santas Casas e dos Hospitais Filantrópicos. “Estas entidades respondem por 70% do atendimento gratuito à população e precisam de um aporte financeiro e jurídico. Não há como sobreviverem se não tiverem um respaldo”, destaca o parlamentar, que foi o relator da chamada Lei das Filantrópicas que deu segurança jurídica e isenção tributária para as entidades assistenciais, de saúde e educacional.

Mais Notícias

Sidebar