Balanço da GCM soma mais de 18 quilos de drogas apreendidas em Suzano

Balanço da GCM soma mais de 18 quilos de drogas apreendidas em Suzano

Números divulgados pela Secretaria de Segurança Cidadã de Suzano mostram que a Guarda Civil Municipal (GCM) apreendeu 18,8 quilos de entorpecentes neste ano, entre cocaína, crack e maconha acondicionados em 14.571 pinos, papelotes e envelopes para o tráfico. Os dados correspondem a uma média mensal de 1,5 quilo de drogas e pouco mais de 1,2 mil invólucros retirados das ruas durante o período.

O trabalho realizado inclui todos os agentes da corporação: da Ronda Ostensiva Municipal (Romu), Ronda Ostensiva Motorizada (Romo), Canil, Patrulha Maria da Penha e Base de Segurança Integrada (BSI), que fica localizada na Praça João Pessoa. Algumas dessas ações ainda tiveram o auxílio das câmeras da Central de Segurança Integrada (CSI).

De acordo com o levantamento, junho foi o mês com maior volume de apreensões de cocaína e maconha. No caso da primeira droga foram localizados 752 pinos e envelopes, totalizando quase 900 gramas. Por sua vez, a segunda teve 919 papelotes apreendidos, que somaram 2,22 quilos.

No caso do crack, que é um subproduto da pasta de cocaína, a maior apreensão foi em novembro, quando pouco mais de 2 mil pinos e pedras foram encontrados, resultando em 1,43 quilo.

As ações promovidas pela GCM com foco nos entorpecentes, seja por denúncia ou patrulhamento, ainda resultaram na apreensão de 322 fracos de lança-perfume, 37 papelotes de skank – derivado da maconha -, dez comprimidos de ecstasy e mais 22 papelotes de haxixe, outra droga feita com a Cannabis sativa.

O empenho contra a venda de entorpecentes também ocorreu pelo lado financeiro, com a apreensão de R$ 9,67 mil durante o ano. Destaque para novembro, quando as investidas das GCM retiraram R$ 1,85 mil do tráfico. Ainda no período ocorreram 32 detenções e apreensões de cinco veículos, duas armas falsas, uma arma de fogo e quatro adolescentes infratores.

Outras ações

A GCM também realizou ações voltadas à resolução de crimes. Recuperação de veículos roubados ou furtados, detenção de suspeitos e averiguação de carros, motos e pessoas estão entre os trabalhos promovidos pela corporação.

Um dos atendimentos que mais chamam atenção são aqueles voltados para denúncia de perturbação do sossego, o que engloba som alto em qualquer horário, por exemplo. A ação não é exatamente um crime, mas sim uma contravenção, ou seja, um ato irregular de menor gravidade, mas que gerou 779 chamados à GCM desde o começo do ano – uma média mensal de 70 denúncias.

Outro destaque fica para a abordagem de pessoas com alguma irregularidade, como foragido da Justiça ou suspeito de ter praticado crimes. Para esse indicador foram 167 ações registradas, 103 averiguações de atitude suspeita e 74 fiscalizações em veículos.

Fora da esfera criminal, os agentes atuaram como apoio a outros setores. No que diz respeito a iniciativas da prefeitura, a corporação prestou atendimento em 160 situações para o Departamento de Fiscalização de Posturas e em 11 para a Secretaria Municipal de Meio Ambiente. Nas ruas de Suzano, a GCM prestou auxílio em 28 acidentes de trânsito sem feridos e em outros 21 com pelo menos uma vítima. Os guardas ainda promoveram a apreensão de 27 veículos.

O secretário interino de Segurança Cidadã, Afrânio Evaristo da Silva, destacou o bom nível de produção das equipes em uma cidade de porte médio como Suzano. “Um dos pontos que a gente defende para a prestação de um bom serviço como força auxiliar de segurança é o de não baixar a guarda e manter sempre os olhos atentos em nossa cidade, seja por meio de patrulha, atendimento a denúncia ou de qualquer outro mecanismo que possa nos levar a impedir ou ajudar a solucionar um crime. Certamente, isso se soma aos treinamentos que realizamos e à convocação de aprovados em concursos para aumento do efetivo. Somente neste mês foram 16 novos agentes que passaram a trabalhar na corporação e 76 pistolas para uso dos guardas”.

O prefeito Rodrigo Ashiuchi, por sua vez, ressaltou a criação da patrulha ambiental e o apoio que recebe de parceiros políticos para o bom funcionamento da GCM. “Acredito que a criação do Grupamento de Patrulhamento Ambiental (GAP) foi uma das grandes conquistas que tivemos durante o ano, incluindo aí um veículo exclusivo que será utilizado pelos agentes. Nossa ideia é aprimorar ainda mais nossa fiscalização de crimes contra o meio ambiente, dentre eles o despejo irregular de resíduos sólidos”, apontou. “Mas tudo isso é feito graças aos nossos parceiros vereadores e deputados estaduais e federais. Sem eles, que nos mandam recursos das três esferas de governo, seria impossível manter uma GCM forte e atuante como a nossa”, completou.

Mais Notícias

Sidebar